A&E INVESTIGA

Ouvintes de podcast ajudam libertar homem preso injustamente há 20 anos

Ed Lewis Ates passou mais de 20 anos de sua vida encarcerado em uma penitenciária do Texas. Ele foi condenado, sem provas concretas, por um júri de uma cidade conservadora próxima de Dallas. 

Ele foi considerado o responsável pelo crime de Elnora Graffin, cujo corpo foi encontrado em um trailer em 1993. Sem motivo aparente, a mulher havia sido dilacerada com facadas e pancadas depois de lutar pela própria vida.

Na cena do crime não havia quaisquer impressões digitais, fios de cabelo ou  vestígio de sêmen de Ates. Ele, inclusive, tinha ficha limpa na polícia. Também não apresentava arranhões pelo corpo, sinais de sangue ou machucados – o que seriam comuns em caso de luta. 

O que o levou à prisão – acredite se quiser – foi um vestígio do que se acreditava ser fezes em seu sapato. Como a vítima acabou defecando involuntariamente durante o assassinato, os investigadores concluíram que aquele pedacinho encontrado no calçado do réu, que ninguém sabia se era realmente de Elnora, foi suficiente para encarcerá-lo. 

No primeiro julgamento, em 1996, Ates passou um tempo na cadeia e foi dispensado por falta de provas. Mas a justiça do Texas queria achar um culpado, criou uma história mirabolante e, dois anos depois, reabriu o julgamento.

Foi então que, em 1998, Ates recebeu pena capital: morte por enforcamento. Depois de apelar, foi julgado novamente e conseguiu 99 anos de prisão. Os advogados o pressionaram para se assumir culpado e diminuir a pena, mas Ates nunca aceitou assumir a culpa por algo que não havia feito.

Ao ser preso, deixou para trás a esposa grávida e uma filha de apenas dois anos de idade. 

Mas durante o tempo em que passou na cadeia, Ates não foi esquecido. Bob Ruff, que comanda um podcast muito popular nos EUA, o Truth & Justice, especializado em casos mal resolvidos, passou mais de dois anos trabalhando paralelamente para desvendar o caso – e, com ajuda dos seus milhares de ouvintes, conseguiu!

Com mais de US$ 34 mil em contribuições dadas pelos ouvintes de Ruff, os advogados puderam solicitar testes adicionais de DNA e conseguiram liberdade condicional para Ates. Foi a primeira vez que ele, agora aos 50 anos, pôde se reencontrar com sua esposa, Kim, e seus dois filhos, Kyra e Zach. 

Agora os advogados de Ates estão trabalhando para conseguir a liberação total.

O verdadeiro culpado do assassinato de Elnora Graffin ainda não foi encontrado.



Fonte: Texas Monthly | Imagem: Innocent Project of Texas