A&EXTRAS

Acusado de assédio, Kevin Spacey vê seu filme faturar menos de US$ 700 na estreia

Ao que parece, as acusações de assédio arruinaram para valer a carreira do ator Kevin Spacey. 

O seu filme mais recente, Billionaire Boys Club, lançado em agosto, arrecadou inacreditáveis 620 dólares no primeiro fim de semana de estreia – pouco menos de 3.000 reais! Por sessão, o longa é visto, em média, por seis pessoas.

Quando o filme começou a ser rodado, há mais de dois anos, as denúncias contra Spacey ainda não tinham vindo à tona. 

Billionaire Boys Club se tornou o primeiro filme com atores classe A a arrecadar menos de 1.000 dólares no primeiro fim de semana. O filme custou 13 milhões de dólares e passou por alguns percalços antes de chegar ao cinema. 

O principal deles foi que os atores envolvidos na produção não quiseram ter seus nomes atrelados ao de Spacey ou terem de responder perguntas a respeito das denúncias contra o colega. Assim, o nome e a imagem do ator foram retirados às pressas de todo o material promocional. A produtora afirma que essa foi uma decisão “difícil, mas necessária”.

No entanto, o caso de Billionaire Boys Club é só mais um entre os tantos que envolvem Spacey. 

A Netflix, por exemplo, gastou US$ 39 milhões para tirar digitalmente as imagens do ator da série House of Cards. A empresa também cancelou a produção de um filme em que Spacey interpretava Gore Vidal. Ridley Scott resolveu substituir o ator e refilmar todas as cenas em que ele aparecia no filme Todo o Dinheiro do Mundo. 

A carreira de Kevin Spacey foi à lona em 2017, quando as acusações do ator Anthony Rapp tomaram conta da mídia. Segundo ele, Spacey o assediou sexualmente quando tinha apenas 14 anos, em 1986. Depois disso, outras tantas acusações tomaram os holofotes.


Eles ficarão dois meses dentro de uma cadeia nos EUA, como prisioneiros disfarçados. 60 DIAS INFILTRADOS NA PRISÃO -Sexta, a partir das 20h


Fonte: El País | Imagem: Yannik Bikker / Shutterstock.com