A&EXTRAS

Ele tem 24 esposas e 149 filhos – e terminou na prisão por causa disso

Winston Blackmore, de 61 anos, foi preso nesta semana no Canadá por poligamia. Ele vivia com 24 esposas que, juntas, lhe deram 149 filhos. 

Blackmore é líder da Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Junto com ele, outro colega foi condenado pelo mesmo delito: James Oler, de 53 anos, que tinha “apenas” cinco esposas. 

A pena para Blackmore foi de seis meses de prisão domiciliar mais serviços comunitários. Oler pegou três meses. Eles ficarão em condicional por 12 meses. 

A juíza da Suprema Corte do estado da British Columbia, Sheri Ann Donegan, afirmou que, embora os homens sejam trabalhadores honestos, a poligamia é proibida por lei. E pior: algumas das esposas tinham pouco mais de 15 anos de idade quando casaram.

“Ele deixou bem claro que nenhuma sentença irá detê-lo de praticar sua fé. O conceito de remorso, para ele, é algo fora da realidade”, explicou. 

Durante o julgamento, Blackmore defendeu a prática da poligamia mas, quando interrogando, não conseguiu lembrar o nome de todas as suas 24 esposas. 

“Sou culpado por viver de acordo com minha religião”, disse aos repórteres. Os homens vivem na pequena comunidade de Bountiful, que fica numa região montanhosa do estado da British Columbia. 

Vários apoiadores de Blackmore estiveram presentes no julgamento. O advogado de defesa até tentou que seu cliente fosse absolvido, mas não conseguiu. No Canadá, a pena máxima para poligamia pode chegar a cinco anos de prisão. 


Três irmãs que escaparam de um culto polígamo contam sua experiências. Quinta, 16h30


Fonte: New York Post | Imagem: AP