60 DIAS INFILTRADOS NA PRISÃO: ATLANTA

Estudo revela que prender as pessoas por causa de drogas não ajuda a combater o crime

Por anos, o estado de Oklahoma teve um dos índices de encarceramento mais altos dos EUA, onde muitas pessoas estão presas por causa de crimes relacionados às drogas.

 

Um relatório, publicado recentemente, indica que prender as pessoas por causa de drogas é um método caro e ineficaz para a segurança pública, para a luta contra a dependência química e para o salvamento de vidas.

 

O estudo, realizado pela ONG The Pew Charitable Trusts, investigou a relação existente entre os altos índices de encarceramento por drogas e seu impacto na origem dos problemas relacionados às drogas em todo o país.

 

Foram analisados os casos de todos os estados nacionais para se chegar à conclusão de que “não existe uma relação estatisticamente significativa entre os índices de encarceramento por drogas e os três parâmetros pelos quais o problema é medido: consumo de drogas, morte por overdose e detenções”.

 

Dito de outra maneira, o aumento do índice de encarceramento por drogas não significou um índice menor de consumo nem de detenções e muito menos de mortes por overdose. Isso foi o que ficou demonstrado em todos os estratos socioeconômicos e culturais do país.

 

O caso de Oklahoma foi determinante para o estudo e se tornou um paradigma: esse estado possui um índice de encarceramento por drogas que é o dobro dos estados vizinhos Kansas e Arkansas.

 

Entretanto, Oklahoma tem o maior índice de morte por overdose em todo o país. Também possui o maior índice de consumo de drogas ilícitas e de detenções policiais por temas relacionados às drogas.

 

Não perca a nova série 60 DIAS INFILTRADOS NA PRISÃO: ATLANTA. Toda quarta, às 23h.

 

 


Fonte: newsok.com 
Imagem: Shutterstock, Inc.