A&EXTRAS

Investigadores encontram pertences do funcionário desaparecido do Wikileaks

A incerteza e as hipóteses cruzadas provocadas pelo desaparecimento do colaborador holandês do Wikileaks Arjen Kamphuis continuam aumentando com o passar dos dias. Após várias semanas de busca, fontes policiais da Noruega confirmaram que alguns de seus pertences foram encontrados no norte do país.

Kamphuis, um especialista em cibersegurança de 47 anos, que seria um sócio do fundador do WikiLeaks, Julian Assange, foi visto pela última vez em 20 de agosto, quando saía de um hotel em Bodo, onde passava férias. Desde então, seu paradeiro é um mistério, com cada vez mais interrogações. 

Segundo as autoridades, um pescador encontrou vários objetos que pertencem ao homem flutuando na água, a cerca de 50 quilômetros a leste do país escandinavo. Os socorristas estão agora rastreando a área, tanto na água como na superfície. Por conta de a investigação ainda estar em curso, a polícia não revelou informações específicas sobre os artigos encontrados. 

Ao não contar com indícios precisos, os investigadores não descartam nenhuma teoria sobre o que aconteceu e ainda não é possível determinar se Kamphuis desapareceu por conta própria ou foi forçado a isso. Mas o que mais chama atenção é o fato de o seu telefone ter sido detectado em 30 de agosto por uma antena de telefonia perto de Stavanger, a mais de 1600 quilômetros de Bodo, e a polícia ainda não sabe se foi ele mesmo quem o utilizou. 

 


Fonte: La Nación