A&EXTRAS

Mãe faz relato desolador depois de filho se suicidar por causa de bullying

Chegou um momento em que ele não pôde mais suportar e tudo terminou da pior forma. Após ter sofrido bullying durante a metade de sua vida, Felix Alexander decidiu colocar um ponto final em tanto tempo de angústia. Caminhou até a estação Abbots Wood Junction, nos arredores da cidade de Worcester, no centro da Inglaterra, e esperou a chegada do trem. Morreu na hora. 

Mais de dois anos se passaram e a ferida no coração de Lucy Alexander, sua mãe, segue doendo intensamente. Mas ela decidiu usar sua tragédia para ajudar os outros. Desde então, dedica-se a auxiliar jovens e pais que podem estar passando por situações similares, para evitar que terminem de uma forma tão radical. 

No marco de uma campanha da organização “AntiBullyingPro”, Lucy contou seu calvário em um vídeo. “Meu nome é Lucy Alexander. Felix, meu filho de 17 anos, suicidou-se em abril de 2016 como resultado dos anos de bullying”, começa o árduo relato. Em seguida, ela descreve os maus-tratos e agressões constantes que seu filho sofreu durante os anos escolares e como a instituição de ensino nunca intercedeu para acabar com essa situação. 

A campanha que Lucy organiza promove a presença de um embaixador antibullying em cada escola do Reino Unido. Destaca que levar adiante esse método preventivo teria um custo de apenas 38 dólares de investimento. A proposta implicaria treinar uma pessoa para que ela possa desempenhar um papel para salvar vidas e melhorar a de milhares de crianças vítimas desses flagelos. 

No Brasil, o Centro de Valorização da Vida realiza atendimentos preventivos contra suicídio pelo telefone 188. A ligação é gratuita em todo o país.

Quem são estas mulheres e o que as leva a matar? VIDAS INTERROMPIDAS - Quinta, 20h50


Fonte: Infobae