A&EXTRAS

Miguelianos, a seita que obrigava as pessoas a fazerem "tudo por amor"

Em maio deste ano, a justiça espanhola apresentou queixas contra o fundador da seita católica “Ordem e Mandato São Miguel Arcanjo”, Miguel Rosendo, e 17 de seus colaboradores. Rosendo, em prisão preventiva desde dezembro de 2014, é acusado de delitos de associação ilícita, ameaça contra a integridade moral, coações e atentados contra a liberdade sexual.

A promotoria considera que o líder espiritual da seita dominava e manipulava seus adeptos para submetê-los à sua vontade, garantindo sua total entrega e disponibilidade, por meio do uso da violência ou intimidação. Ele também utilizava técnicas de doutrinamento baseadas na persuasão coercitiva com o objetivo de destruir total ou parcialmente a personalidade dos indivíduos sob a desculpa da religião que professavam, satisfazendo assim seus desejos sexuais, além de realizar atos para seu benefício pessoal. 

Apesar dos numerosos e gravíssimos depoimentos contra ele, Rosendo continua afirmando sua inocência e sustenta que fez tudo “por amor”. “Não obriguei ninguém a nada, todos ali eram livres”, declarou, apesar das contundentes provas que mostram o contrário. 


A&E investiga CULTOS E CRENÇAS EXTREMAS. Sexta, a partir das 20h!


Fonte: El País