A&EXTRAS

Quatro meses depois, corpo de Charles Manson finalmente poderá deixar necrotério

Quatro meses depois da sua morte, o corpo de Charles Manson, um dos seriais killers mais famoso do mundo, finalmente vai poder deixar o necrotério do condado de Kern, na Califórnia. 

Nesse tempo, quatro pessoas reclamavam direito ao corpo do assassino na justiça. Dois parentes e dois homens que dizem estar atendendo a um desejo expresso por Manson em testamento. 

A luta, claro, incluía a posse sobre o patrimônio do serial killer, que também era líder de uma seita. 

Jason Freeman, que diz ser neto de Manson, diz que quer apenas cremar o corpo e espalhar suas cinzas durante uma pequena cerimônia familiar. Ele conta que nos últimos anos teve uma relação próxima com o avô, mesmo que muita gente próxima do assassino afirme que é mentira. 

O outro suposto parente é Michael Brunner, que diz ser filho de Manson. Ele afirma que quer apenas cremar o corpo do pai e proteger o patrimônio daqueles que querem faturar às custas do falecido. 

O problema é que, em meio a tudo isso, brotaram dois testamentos supostamente assinados por Manson. O primeiro nomeia Benajmin Gurecki como herdeiro. Ele teria sido amigo próximo do assassino nos últimos 20 anos. O segundo nomeia Matthew Lentz, que seria seu filho. 

A justiça, no entanto, decidiu que o corpo só poderia ser retirado por Jason Freeman, neto do serial killer.


Não perca a estreia de AS CRÔNICAS DE FRANKSTEIN nesta sexta, dia 16 de março, às 21h35