A&EXTRAS

Trump reforça a segurança fronteiriça depois de recorde de homicídios no México

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, criticou o aumento da taxa de homicídios no México e afirmou que, por esse motivo, seu país requer a máxima segurança fronteiriça. Ele atacou o Partido Democrata em seu Twitter por apoiar o direito humanitário dos imigrantes que chegam ao país em busca de refúgio.

“Uma das causas pela qual precisamos de uma forte segurança nas fronteiras é o crescimento da mortalidade no México, por conta do aumento dos homicídios de 27% em 2017, o que significa 31.174 pessoas assassinadas. Um recorde!”, disse Trump em sua rede social.

Em abril deste ano, o governo dos Estados Unidos enviou 4.000 militares para a fronteira com o México para confrontar os imigrantes e suas famílias. A ação foi tomada em conformidade com a política de “tolerância zero” adotada pelo presidente nas zonas fronteiriças, uma polêmica medida que fez com que 13.000 crianças fossem separadas de seus pais.

Nessa mesma linha, também se deu início a construção de um muro que divide o estado da Califórnia do país vizinho, com um custo de 33 bilhões de dólares. A princípio, Trump havia afirmado que a obra seria financiada pelo México, algo que o governo de Enrique Peña Nieto não aceitou. No entanto, o trato foi finalizado após uma negociação para que os gastos fossem recuperados mediante taxas comerciais ou uma redução da assistência ao Executivo mexicano. 


Não perca a nova temporada de NCIS: NOVA ORLEANS - Toda quarta às 21h40


Fonte: El Universal