A&EXTRAS

“Feira do Crime” faz com que centenas de pessoas se unam para desvendar assassinato de 1981

Será que centenas de pessoas, juntas, conseguiriam desvendar um assassinato ocorrido em 1981 que até hoje segue sem solução? 

Essa é a pergunta o que o CrimeCon, um evento sobre crime que tem movimentado a cidade de Chicago, nos EUA, quer responder. 

Esse ano, o evento vai se debruçar sobre o caso  Kurt Sova, jovem de 17 anos que foi encontrado morto em 1981 depois de sair de uma festa na cidade de de Newburgh Heights. 

Seu corpo foi encontrado em uma ravina a poucos metros da casa onde a festa ocorrera. 

Foram necessários cinco dias de buscas intensas até que o jovem fosse encontrado. A família jura que vasculhou cada canto da ravina alguns momentos antes – o que só aumenta o mistério. 

A causa da morte de Kurt permanece desconhecida até hoje. 

O caso só foi desarquivado recentemente, quando a polícia local se uniu a um grupo de estudantes universitários para buscar soluções. 

Essa parceria acabou levando o caso a ser o ponto focal da CrowdSolve (nome que remete a solução coletiva), uma oficina da CrimeCon na qual cidadãos comuns são convidados a atuarem como detetives em crimes sem solução. 

O público deve unir esforços entre os dias 21 e 23 de fevereiro. Eles devem trabalhar em três frentes, assistidas pela polícia: ações com aval jurídico, interação com a família da vítima e buscas por resolução. 

Com a visibilidade dada ao caso, a polícia espera encontrar, por exemplo, pessoas que viram algo suspeito na época e agora estejam dispostas a colaborar com as investigações. 

O CrowdSolve está aberto a todos os participantes que quiserem pôr suas habilidades de investigação à prova. A polícia espera a inscrição de até 400 pessoas, que irão trabalhar em grupos e examinar as poucas pistas coletadas até agora. Não é preciso ter formação específica para participar, apenas entusiasmo e olho vivo.

A filosofia do evento é: “Nenhum de nós é tão esperto quanto todos nós juntos”.

O irmão de Kurt, Kevin Sova, deve comparecer.

Os ingressos são limitados e disputadíssimos.  


Fonte: WKYC | Imagem: CrimeCon/Instagram