A&EXTRAS

Polícia oferece R$ 2,8 milhões a quem tiver pistas concretas de rapto ocorrido em 1970

Detetives australianos retomaram com tudo a investigação do caso de uma criança que foi sequestrada há exatos 50 anos. 

Suspeita-se que ela tenha sido assassinada na sequência.

A recompensa para quem tiver pistas que levem ao criminoso chega a R$ 2,8 milhões – ou 1 milhão de dólares australianos.


Cheryl entre os irmãos; ela é a terceira da esquerda para a direita


O crime ocorreu no verão de 1970, quando a pequena Cheryl Grimmer, britânica de apenas três anos, simplesmente desapareceu da praia de Fairy Meadow, na Nova Gales do Sul, Austrália. 

Ela estava no local com a mãe e três irmãos quando foi vista pela última vez, próxima a uma área reservada a duchas e vestiário. 

Na época, testemunhas revelaram ter visto um homem carregando Cheryl até um estacionamento.

Até hoje, nenhum sinal da menina foi encontrado. 

A polícia australiana declarou a menina oficialmente morta em 2011, mas a verdade é que nunca foi encontrado um corpo que sustentasse essa evidência – nem que determinasse o motivo ou a causa da morte. 

A polícia ouviu o depoimento de várias pessoas – e uma delas, em especial, chamou a atenção: a de um rapaz de 17 anos na época. 

Só que, sem respaldo da justiça, os policiais precisaram descartar o sujeito. 

Agora, eles querem descobrir de vez o paradeiro de Cheryl. A polícia australiana, então, recorreu a uma recompensa milionária na esperança de resolver esse caso que já se estende por cinco décadas. 


Fonte: Fox News | Imagens: NSW Police (divulgação)