60 DIAS INFILTRADOS NA PRISÃO: ATLANTA

MATT

Após a escola secundária, Matt serviu a marinha por quatro anos. Ele foi o graduado com honras na sua aula de bootcamp, promovido rapidamente, tornando-se, por fim, um sargento E-5 na infantaria. Como rebelde autoproclamado, Matt esteve em muitas situações que poderiam ter acarretado em sua prisão, e, embora nunca tenha sido violento ou criminoso, foi sortudo o suficiente para nunca ser pego. Agora, anos depois de ter servido a marinha, superando suas tendências juvenis ao comportamento de risco e construindo uma vida estável, ele acredita que está pronto para enfrentar um destino que facilmente poderia lhe pertencer.

 

Matt apoia a aplicação da lei, mas acredita que o sistema penitenciário precisa de uma verificação da realidade. Ele acredita que se você cometeu um crime grave, deve cumprir sua pena. Porém, Matt sabe que prender infratores de drogas não violentos costuma fazer mais mal que bem. Ele acredita que, embora as pessoas fiquem sóbrias dentro, elas voltam a usar drogas imediatamente após serem libertadas, o que é bastante provável que as leve novamente para trás das grades. Matt quer se juntar ao programa para jogar uma luz na falta de recursos para os viciados presos, investigar a falta de profissionalismo entre os guardas e examinar as questões em torno dos veteranos que sofrem de estresse pós-traumático e os tratamentos oferecidos a eles.

 

O coronel acredita que o passado de Matt lhe ajudará a se relacionar com os homens que lutam contra o vício e ajudar a descobrir de que modo as substâncias ilegais estão entrando na penitenciária.