60 DIAS INFILTRADOS NA PRISÃO: ATLANTA

MAURI

Uma de cinco irmãs, Mauri atribui a ambição e o apoio de sua mãe solteira ao seu sucesso. Apesar de ter crescido pobre, sua mãe foi capaz de se formar e mostrar às filhas que não existem limites se você está determinada a ter sucesso. Com a mesma ambição, Mauri colocou sua educação acima de tudo. Ela se graduou em Psicologia com especialização em Justiça Criminal e foi aceita recentemente em um programa de mestrado de Serviço Social.

 

Quando estava na faculdade, Mauri trabalhou por três anos como agente de correção em uma penitenciária masculina de segurança máxima. Enquanto exercia essa função, Mauri ficou chocada em ver quantos homens e mulheres encarcerados sofriam de doença mental e usavam medicamentos durante o período atrás das grades. Mauri se sentiu inspirada a seguir com o serviço social após o tempo em que passou trabalhando na prisão. Ela continua fascinada pelo papel que os problemas de saúde mental representam dentro do sistema penitenciário, e esse programa será a melhor pesquisa para o seu mestrado. Mauri está determinada a fazer parte da solução quando o assunto é reforma carcerária e saúde mental.

 

Com a experiência de Mauri como agente de correção, o coronel está ansioso em tê-la fazendo parte da penitenciária e vigiando tanto o comportamento e treinamento dos guardas quanto observando o estado mental dos outros detentos.